sábado, 28 de abril de 2012

Jason Upton e Juliano Son - Muito bom !

video

Essa coisa chamada espiritualidade



Dâmocles invejava Dionísio, governador de Siracusa, a cidade mais rica da Sicília do século 4. Acreditava que Dionísio era um bem-aventurado, que possuía tudo quanto um homem pode desejar. Até que foi convidado por Dioníso para trocar de lugar com ele por um dia. No banquete noturno, Dâmocles percebeu que havia sobre sua cabeça uma espada que pendia do teto, sustentada apenas por um fio da crina de um cavalo. Imediatamente perdeu todo o interesse naquele lugar de honra. Devolveu o trono ao seu legítimo dono e nunca mais invejou sua posição.
O mito da espada de Dâmocles é geralmente usado para demonstrar a condição vulnerável dos que ocupam o poder. Mas pode também ser usado para demonstrar a morte que a todos espreita. Fala da efemeridade da condição humana. A espada de Dâmocles representa a insegurança, a vulnerabilidade, e aponta para a angústia que carregamos no peito em virtude da consciência de finitude.
A miserabilidade do ser humano está no fato de que não somente é finito, como todas as demais criaturas, mas também e principalmente consciente da inexorabilidade de seu fim. Paradoxalmente, entretanto, essa angústia diante da morte é também a salvação do humano. Tire a imortalidade do homem e ele cai de quatro, dizia Nelson Rodrigues.
A consciência da finitude nos angustia justamente porque somos habitados por um senso de eternidade. Esse paradoxo é descrito de maneira magnífica por Álvaro de Campos, pseudônimo de Fernando Pessoa, em seu poemaTabacaria: “Não sou nada. Nunca serei nada. Não posso querer ser nada. À parte isso, tenho em mim todos os sonhos do mundo.”
A palavra “espiritualidade” expressa esse encontro entre o finito e o infinito nas profundezas do ser humano. A espiritualidade é a experiência da busca e/ou encontro do sentido último da existência e, de certa maneira, o encontro com a realidade sagrada ou divina. A espiritualidade o implica o anseio de transcendência. O teólogo existencialista  Paul Tillich sustenta que “Deus é a resposta à pergunta implícita na finitude do homem. Ele é o nome que damos àquilo que nos preocupa de forma última”, pois “tudo aquilo que preocupa o ser humano de forma última se torna deus para ele e, inversamente, um ser humano só pode estar preocupado de forma última com aquilo que, para ele, é deus”. A morte é certa. E a vida é questão de fé.

Por Ed Rene Kivitz

Processou Deus


Impensável, não é mesmo? Mas aconteceu. Foi na Romênia. Mircea Pavel, 41 anos, processou Deus assim que foi condenado a 20 anos de prisão por assassinato. Sua revolta com o Criador tem uma explicação coerente, pelo menos é o que ele pensa. Segundo alegação de Mircea, quando ele foi batizado, Deus prometeu protegê-lo do diabo. O crime que o levou para prisão foi uma clara obra do demônio, garante. Portanto, na lógica de Pavel, Deus não cumpriu a parte que lhe cabia no acordo da época do batismo.Como escrevi no início, diante do impensável, em 2011 a corte decidiu que o processo estava fora de sua jurisdição. Ufa!
Pobre Mircea Pavel. Pobres seres humanos. Falidos e falindo a muitos, ainda querem colocar a culpa no diabo e processar Deus por faltar com Sua palavra. Muitos riram desta notícia, dado os absurdos que a cercam. Porém muitos, infelizmente, cultivam o mesmo pensamento do romeno.
São poucos dispostos a confessar e assumir culpas. Não raro ouvimos explicações sobre pecados, roubadas e pisadas de bola que atribuem culpas e responsabilidades ao diabo. Rotineiramente também ouvimos sentenças revoltosas e inconformadas com o silêncio de Deus, com questionamentos sobre o porque de Deus não agir, intervir ou ajudar.
Exatamente assim estão muitos corações, em litígio com o Senhor Deus. Litígio que só aparece quando as desgraças já tomaram forma. Antes, quando ainda se vive os momentos de escolher bem ou mal, de cair ou não em determinadas tentações, de obedecer ou não os estatutos e as regras daquilo que é certo, de dirigir ou não embriagado, de trair ou não a família, enfim, antes das desgraças se consumarem a maioria só quer saber de curtir e achar graça em coisas que não têm a menor graça.
Sobre Deus, bem, sobre Deus nada pensam. Nem consideram, nem lembram, nem ponderam, nem respeitam. Deus, quando tudo caminha aparentemente bem, simplesmente é ignorado, transformando-se apenas num ícone pop.
Afinal é chic, para quem não se considera ateu, crer em alguma coisa, ou força, ou energia. Enfim, crer em qualquer coisa, ou até mesmo crer em Deus, só que de qualquer jeito.
Não caia nessa. Tribunais terrenos e corações humanos são jurisdições incompetentes para pretender qualquer processo contra Deus. Mude, e tudo muda. Perdoe, ajude, suporte, humilhe-se. Volte-se, enquanto existe tempo, para a prática e obediência da palavra de Deus. Temos sofrido por falhas e escolhas nossas. O resto é bizarrice, quando muito, o resto não passa de meras desculpas de pecadores pretensiosos que querem transformar Deus em réu, quando desde o Éden, réus somos eu e você.
Paz!

Por Edmilson Mendes

Joia do Santos e cristão, Neymar fica De Frente com Gabi neste domingo



Maior estrela do futebol nacional, Neymar deu uma entrevista reveladora no programa do SBT "De Frente com Gabi", que vai ao ar no próximo domingo (29).

O craque falou sobre a fama e o sucesso que conquistou rapidamente, "a ficha ainda não caiu". E usou como exemplo o dia em que passou apuros em um shopping de Santos. " Todo mundo veio em cima de mim e eu não conseguia sair da loja," revelou.
Neymar ainda explicou que apesar da bagunça que rola na concentração, não descuida dos cuidados com a beleza.  "Eu depilo a perna inteira, com maquininha, na concentração mesmo", disse. "Eu gosto de comprar roupas. Estou longe do Beckham. Ele é bonitão, eu não." Por fim, a  joia santista revelou que continua pagando dízimo à igreja Batista.

segunda-feira, 23 de abril de 2012

Deputados Marcelo Aguiar, Silas Câmara, Lauriete e outros da bancada evangélica não assinaram pedido de abertura da CPI da corrupção no Caso Cachoeira



A recém instalada Comissão Parlamentar de Inquérito que investigará o bicheiro Carlos Augusto Almeida Ramos, conhecido como Carlinhos Cachoeira, e suas relações com empresários e políticos, contou com a assinatura de alguns membros da Frente Parlamentar Evangélica.
Porém, nem todos os parlamentares evangélicos assinaram a lista para criação da CPI, caso dos deputados Marcelo Aguiar (PSD-SP) e Lauriete (PSC-ES), Silas Câmara (PSD-AM), além do ex boxeador Popó (PRB-BA).
Carlinhos Cachoeira é apontado em uma investigação da Polícia Federal como chefe de uma quadrilha que explorava o jogo ilegal em Goiás, e que teria envolvimento com políticos de expressão nacional e empresas contratadas pelo governo federal. O senador Demóstenes Torres (sem partido) é o principal suspeito de manter ligações promíscuas com Cachoeira, e é acusado de ter usado seu mandato para favorecer o contraventor.
Essa não é a primeira vez que Carlinhos Cachoeira é investigado em uma CPI. Entre 2005 e 2006, o bicheiro foi citado em outras três CPIs: a dos Bingos (Senado) e Correios e Mensalão (mistas).
Os senadores evangélicos Magno Malta (PR-ES), bispo Eduardo Lopes (suplente do senador Marcelo Crivella, licenciado para ocupar o cargo de ministro/ PRB-RJ) e Walter Pinheiro (PT-BA), assinaram o documento para a criação da CPI mista, composta por membros do Senado e da Câmara dos Deputados.
Entre os membros da Bancada Evangélica que são deputados federais e que foram favoráveis à criação da CPI estão o missionário José Olímpio (PP-SP), João Campos (presidente da Frente Parlamentar Evangélica/PSDB-GO), Anthony Garotinho (PR-RJ) e Marco Feliciano (PSC-SP), de acordo com informações do G1.

domingo, 22 de abril de 2012

Deixem as mulheres, as crianças, e os descrentes subirem primeiro nos botes salva-vidas.



Há pouco eu li um belo testemunho o qual compartilho abaixo: 

"O pastor escocês John Harper e sua filha Nana, de seis anos de idade, estavam a bordo na noite fatídica em que morreram mais de mil e quinhentas pessoas que estavam a bordo do Titanic . Quatro anos antes, a esposa de Harper falecera e ele sabia que a menina ficaria órfã aos seis anos de idade. Mesmo assim, ele a embarcou em um dos botes salva-vidas e preferiu tentar ajudar os demais.

O motivo de sua viagem era pregar em uma das maiores igrejas dos Estados Unidos na época, Moody Church em Chicago. A igreja estava esperando por sua chegada, pois não somente ele pregaria uma série de mensagens, mas daria oficialmente a resposta que aceitaria pastorear a igreja nos EUA.

Harper era conhecido como um pregador envolvente e havia sido pastor de duas igrejas na Grã-bretanha, em Glasgow e Londres. Seu estilo de pregação era adequado para um evangelista como testemunham as palavras de um pastor amigo. “Ele era um pregador do ar livre acostumado a falar para grandes públicos… Ele possuía uma grande compreensão das verdades bíblicas que lhe permitam combater com sucesso todos os ataques à fé”.

Quando o Titanic bateu no iceberg, Harper, por ser viúvo poderia ter se juntado à filha, mas optou por dar àquelas pessoas mais uma chance de conhecer a Cristo. Há registros que Harper correu de pessoa em pessoa, contando apaixonadamente aos que estavam em pânico sobre a necessidade de aceitarem a Cristo.

Quando a água começou a afundar o navio, Harper foi ouvido gritando: “Deixem as mulheres, as crianças, e os descrentes subirem primeiro nos botes salva-vidas.” Ao ouvir um homem rejeitar seu apelo para que aceitasse Jesus, Harper deu-lhe o colete salva-vida que usava e disse: “você precisa disso mais do que eu.” Até o último momento que esteve a bordo do navio, Harper pediu que as pessoas entregassem suas vidas para Jesus.

Quatro anos após a tragédia, durante uma reunião um sobrevivente do Titanic, um sobrevivente contou como foi seu contato com Harper no meio das águas geladas do Atlântico.

Ele testemunhou que ele estava se agarrando em um pedaço dos detritos quando Harper nadou até ele, fazendo duas vezes o convite bíblico: “crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo.” Ele disse que rejeitou a oferta na primeira vez.

No entanto, ao ouvir o apelo sendo repetido pelo pastor, sabendo dos quilômetros de água sob seus pés, aquele homem entregou sua vida a Cristo. Logo em seguida disse que viu Harper sucumbindo ao frio e afundando. Ele concluiu seu testemunho na reunião de sobreviventes simplesmente dizendo: “Eu sou o último convertido de John Harper”.

Sua filha, Nana, foi resgatada e mandada de volta à Escócia, onde cresceu, casou-se com um pastor, e dedicou toda a sua vida ao Senhor."

Caro leitor, que testemunho maravilhoso não é verdade? O zelo evangelístico de John Harper é um modelo para cada um de nós.  

Ora meus amigos, todos sabemos que o mundo é mal, a cidade está cada vez mais violenta e as pessoas estão cada vez mais egoístas. Nas ruas, nos becos, nos guetos, gente como estas estão desesperadas por uma mensagem de esperança e salvação. Agora, como crerão se não há quem os envie?

A pergunta é: O que temos feito? Temos anunciado o Evangelho integral de Cristo Jesus ou temos andado preocupados com a nossa satisfação e realização pessoal. Os campos estão brancos, o que nos mostra a imperiosa necessidade de anunciarmos o Evangelho de Cristo a essa juventude sem rumo e esperança. Cabe a Igreja contextualizar o evangelho sem contudo sicretiza-lo. Somos e fomos chamados pelo Senhor da glória a proclamar as boas novas de Cristo.

Minha oração é que o Deus Todo-poderoso mediante sua infinita graça, nos use como instrumento de benção e salvação para milhares de jovens neste país.

Soli Deo Gloria,

Renato Vargens

sábado, 21 de abril de 2012

Chris Durán escapa da morte



Chris Durán com a mulher, Poliane, e a filha, Esther
O cantor e pastor Chris Durán escapou ileso de um grave acidente de carro no último domingo (15/04), quando se dirigia, com músicos de sua banda, para a cidade de Posse, em Goiás, onde participaria de um evento gospel. O carro em que eles viajavam, a mais de 100 km/h, foi atingido por outro veículo, dirigido por um homem identificado apenas como Kleber. Segundo Chris Durán, o motorista estaria aparentemente alcoolizado. Os dois carros ficaram completamente destruídos no choque.

Chris Durán e seus músicos nada sofreram. Em entrevista ao iG Gente, o cantor atribuiu a sobrevivência de todos a uma milagre de Deus. "Poderia ter morrido decapitado. Era para nós e os músicos estarmos completamente feridos. O nosso carro quase cortou o outro em dois”, disse.

Já o motorista Kleber foi projetado para fora do veículo e teve muitos ferimentos, mas também sobreviveu. "Ele estava no meio das ferragens, inconsciente e quase morto. Eu e meus músicos começamos a orar e clamar a Deus. Ele então abriu os olhos. A ambulância chegou e conseguimos serrar o carro para tirá-lo. No caso, o fato de ele estar sem cinto o salvou. O cinto teria cortado seu corpo ao meio", relatou o cantor.

Os dois carros envolvidos no acidente
Filho de pai francês e mãe espanhola, Chris Duran se mudou para o Rio de Janeiro no início da década passada. Largou a carreira secular, no auge, converteu-se ao evangelho e iniciou, em 2001, uma bem-sucedida trajetória no meio gospel, com o lançamento do CD Reverência, pela extinta gravadora TopGospel.

Confira abaixo a íntegra da reportagem publicada no iG Gente, na qual Chris Durán dá mais detalhes do acidente que sofreu, comenta o atual cenário da música gospel brasileira e a fala de sua vida de pastor e cantor, entre outros assuntos.


Chris Durán sobre acidente: “Poderia ter morrido decapitado”
Carro do cantor sofreu uma colisão numa estrada de Goiás a 100 km/h

Renata Reif e Juliana Moraes, iG Gente | 19/04/2012 17:42:47

Chris Durán sofreu um acidente automobilístico no último domingo (15) na estrada, a uma velocidade de 100 km/h. O cantor francês – filho de pai francês e mãe espanhola –, radicado no Rio de Janeiro, que fez grande sucesso na década de 1990 com canções como “Te Perdi”, “Why” e “Esmeralda”, colidiu o carro quando estava a caminho da cidade de Posse, em Goiás, onde realizaria um evento gospel.

Em conversa com o iG Gente, o cantor, que também é pastor evangélico, comentou que o acidente poderia ter acabado com consequências mais graves. “Foi um grande susto que levamos quando depois do almoço estávamos dentro do carro indo para a cidade de Posse. Estava orando no carro e então sucedeu uma intervenção: ‘Oh meu Deus, uma freada’. Um homem embriagado cortou o meu caminho”, contou ele, que estava em seu automóvel com mais três músicos de sua banda gospel. “Nós batemos a 100 km/h. Foi um milagre de Deus, poderia ter morrido decapitado. Era para nós e os músicos estarmos completamente feridos. O nosso carro quase cortou o outro em dois”, falou.

Ainda impressionado com o cenário do acidente, Chris relembrou os momentos de tensão após a batida. “O Kleber (motorista do outro automóvel) foi projetado para fora e havia muito sangue. Ele estava no meio das ferragens, inconsciente e quase morto. Eu e meus músicos começamos a orar e clamar a Deus. Ele então abriu os olhos. A ambulância chegou e conseguimos serrar o carro para tirá-lo. No caso, o fato dele estar sem cinto o salvou. O cinto o teria cortado seu corpo ao meio”, continuou.

O músico falou ainda que o motorista estava aparentemente alcoolizado, mas contou com a ajuda divina para sobreviver. “Ele estava visivelmente embriagado, mas o anjo que está na minha vida fez com que não morrêssemos. Com certeza foi uma intervenção divina”, disse o cantor

No entanto, Chris não tem ressentimentos e perdoa o motorista do outro carro. “Não posso deixar de perdoar o Kleber, mesmo ele quase tendo deixado minha esposa viúva. Só que Jesus estava presente na colisão”, desabafou.

Famoso na década de 1990 e agora recluso pai de família, voltado apenas a evento gospel, Chris disse que está feliz com o cenário evangélico atual, já que emissoras de canal aberto têm espaços voltados a qualquer religião. “As portas estão se abrindo. Fico feliz que Deus esteja usando emissoras como a Globo para deixar as pessoas ainda mais maravilhosas”, opinou.

Chris comentou ainda que aceitaria voltar à TV, mas sem o furor que causava no passado. “A multidão que vive fora da palavra talvez não te nha sido avisada. Todos merecem ser informados. E se for para isso acontecer, quero voltar à mídia. Mas de maneira simples, não aquele Chris internacional, que todas achavam que ele era tudo”, falou.

Para o músico, atualmente as fãs o enxergam como um pregador, não mais como um galã que atraia uma multidão de meninas em shows. “Existem tipos de pessoas que reconhecem em mim uma autoridade espiritual, em minhas músicas. Hoje, me admiram pela essência, não como no passado, com milhares de meninas que gritavam por causa das minhas músicas românticas para vender milhões de CDs. Creio que a gente que encontrou Jesus tem que ter renome e esperar respeito”, falou. “Há vários tipos de fanatismo, não tenho problemas com isso, mas o meu 'approach' com as fãs, eu creio, passam autoridade espiritual, pois está baseado no amor e elas veem o Cristo em mim. Não me enxergam mais como uma superestrela”, concluiu.

quarta-feira, 18 de abril de 2012

11 fardos de um pastor que leva o evangelho a sério



Nunca fui de me queixar ou me fazer de vítima. O post que ora escrevo tem o objetivo de dar voz a minha realidade e de tantos outros amigos que são companheiros de luta há anos na causa da fé e são pessoas íntegras, inteligentes e acima de tudo apaixonadas.

Algumas experiências aqui são pessoais, outras ouvi. Para quem pensar que estou em lua de fel com o povo que lidero, digo o seguinte: você não entendeu nada.

Vamos aos fardos…

1. Ter de explicar a toda hora que sua igreja não é a mesma que a do Edir Macedo, do Valdemiro Santiago e assemelhados.

2. Ter de suportar a cara de desconfiança da atendente da loja quando pergunta a sua profissão e você responde: “pastor”. A gente tem a impressão que alguém escreveu na nossa testa sem a nossa permissão: “vigarista”.

3. Ser o bode expiatório dos problemas que as pessoas estão passando. Problemas que se arrastam muito tempo acabam sendo debitados na conta do pastor. A mulher foi traída pelo marido e depois de pensar um pouco chega a conclusão que a culpa do “angu” é do pastor e decidem os dois sair da igreja. O pastor era muito fraquinho!

4. Expectativas de que os filhos do pastor, não vivam sua infância e adolescência e sejam seres super dotados espiritualmente que oram, pregam e dão conselhos como um obreiro veterano.

5. Desejo que o casal pastoral sejam ambos, bem humorados, sorridentes, extrovertidos e que causem boa impressão a primeira vista.

6. Expectativa de que o pastor reúna em si todos os dons relatados na Bíblia. Que seja teólogo como foi Paulo, excelente pregador como foi Apolo, bom ouvinte como foi Barnabé e competente dirigente de música como foi Asafe, e de vez em quando como Jesus, entreter as crianças na Escola Bíblica Dominical.

7. Ter de ouvir brincadeiras tipo: “cansado do que, se pastor só trabalha domingo?”. Infelizmente as pessoas não veem que a maior parte do trabalho do pastor não é feita diante dos olhos dos membros da igreja. Aconselhamento nos lares, visita a doentes, discipulado um a um, preparo para estudo e pregação, planejamento de eventos são todas atividades que passam despercebidas dos olhares do membro comum da igreja.

8. Não ter a chance de estar em um dia ruim, chorar, se sentir ferido ou abandonado. Eu conheço uma nuvem de pastores que tomam omeprazol direto porque ninguém lhes dá o direito (nem eles mesmos) de expressarem o que estão sentindo. Um dia um amigo foi se abrir com um diácono da igreja e o diácono chamou sua atenção: “Que é isso pastor, o senhor não pode se sentir assim!.

9. A crença injusta e precipitada de que se há qualquer rumor sobre a vida pessoal do pastor deve ser verdade. O famoso bate e depois pergunta. Havia um boato em uma certa igreja, uma conversa de que o pastor andava com outra mulher, mas o que ninguém sabia ou deu-se conta é que era a mesma mulher, só que ela havia pintado o cabelo de loiro.

10. Não aceitar que o pastor tire férias, afinal Deus não descansa, então o pastor não deveria descansar já que ele tem ligação direta com o “homem lá de cima”. Além disso como um pastor pode descansar sabendo que milhares estão indo para o inferno…

11. O pensamento de algumas pessoas de que o lider espiritual, não tem sentimentos, nem expectativas de retorno nos relacionamentos. Muitas são as vezes em que o pastor não é visto como amigo pois habita o panteão das idealizações das pessoas o que certamente torna a vida dele um pouco mais difícil. As pessoas se sentem a vontade para agirem como em nenhum outro relacionamento: descompromissadas em palavras e ações. Bate que o pastor aguenta!

Sim há um outro lado que talvez você nunca pensou. Seu pastor também é gente.

Um abraço quebra costelas.

O discípulo gaudério.

segunda-feira, 16 de abril de 2012

A Igreja nada mais é do que uma parte da humanidade na qual Cristo realmente tomou forma


As grandes e decisivas palavras do apóstolo Paulo acerca do Corpo de Cristo foram endereçadas às
congregações de Corinto e da Ásia Menor, às quais ele atacou logo em seguida por sua fragilidade humana.
Note-se que Paulo, um mestre da comparação e da metáfora, não disse que o povo de Deus é "como o Corpo de Cristo", Em todas as passagens ele afirmou que nós somos o Corpo de Cristo. O Espírito veio e habitou entre nós, e o mundo conhece um Deus invisível principalmente pela nossa representação, a nossa "encarnação" dele.
"A Igreja nada mais é do que uma parte da humanidade na qual Cristo realmente tomou forma", disse
Bonhoeffer.2 Com demasiada freqüência, nós nos esquivamos das duas premissas desse sumário. Desanimados, nós nos condenamos por continuarmos mostrando as imperfeições da nossa humanidade. Abatidos, negamos na prática, quando não na fé, que Cristo realmente tomou forma dentro de nós.
Três símbolos dominantes — Deus como uma nuvem gloriosa, Deus como homem sujeito à morte e Deus
como um Espírito que reúne e une o seu novo Corpo — mostram uma progressiva intimidade, que vai do medo à humanidade compartilhada e desta à essência compartilhada. Deus está presente em nós, unindo-nos geneticamente a si mesmo e uns aos outros.
Onde Deus está no mundo? Como ele é? Já não podemos apontar para o Lugar Santíssimo ou para um
carpinteiro em Nazaré. Nós formamos a presença de Deus no mundo por meio do seu Espírito que habita em nós. E realmente um fardo pesado.
Depois da 2a Guerra Mundial estudantes alémães ofereceram-se para ajudar a reconstruir uma catedral na
Inglaterra, uma das muitas "vítimas" dos bombardeios da Luftwaffe. Enquanto a obra avançava, surgiu um
debate sobre qual era a melhor forma de restaurar uma enorme estátua de Jesus de braços estendidos, que trazia a conhecida inscrição "Vinde a mim todos". Uma cuidadosa reconstrução conseguiu reparar todo o dano sofrido pela estátua, com exceção das mãos de Cristo, que haviam sido destruídas por fragmentos de bombas. Eles deveriam tentar a delicada tarefa de refazer aquelas mãos?
Finalmente os restauradores chegaram a uma decisão que perdura até os dias de hoje. A estátua de Jesus
não tem mãos, e a inscrição de hoje diz: "Cristo não tem mãos, a não ser as nossas".
Apresento-lhes um mistério: "Nele vocês também estão sendo edificados juntos, para se tornarem morada
de Deus por seu Espírito" (Ef 2.22).