quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Mais de 5 milhões de votos definiu a premiação do Troféu Promessas

A música evangélica nacional tem sua noite de gala nesta terça-feira (29), quando são anunciados os ganhadores do Troféu Promessas, considerado a maior premiação do gênero no país.

A cerimônia, que acontece no Rio de Janeiro, com apresentação do ator Eriberto Leão, contempla nove categorias: Revelação, Música, Ministério de Louvor, Clipe, Grupo, DVD/BluRay, CD, Cantora e Cantor. Todos os vencedores foram eleitos pelo próprio público evangélico. Na abertura do evento, a organização informou que foram mais de 5 milhões de votos.

Eriberto, Leonardo Gonçalves, Damares e Cristina Mel  (Foto: Rudy Trindade/G1)

Na fase pré-seleção (de 12 a 31 de julho), um comitê gestor - composto por representantes das gravadoras e mídias do mercado gospel - analisou os mais de 1.600 inscritos. A partir daí, as decisões couberam ao público. Primeiro, foram escolhidos os cinco finalistas de cada categoria (entre 16 de agosto e 31 de setembro). Depois, os premiados (entre 6 de outubro e 22 de novembro). A votação aconteceu por meio da internet ou SMS.

Os nomes dos vencedores do Troféu Promessas. Eles estão destacados em negrito.

Melhor Clipe
"Deus da minha vida", Thalles
"Eis-me aqui", Ana Paula Valadão e Ludmila Ferber
"Pavão Pavãozinho", Fernanda Brum
"Ressuscita-me", Aline Barros
"Um novo vencedor", Damares

Melhor CD
"Aleluia", Diante do Trono
"Bruna Karla ao vivo", Bruna Karla
"Diamante", Damares
"Extraordinário amor de Deus", Aline Barros
"Glória", Fernanda Brum

Melhor DVD/BluRay
"Advogado Fiel Ao Vivo", Bruna Karla
"Aleluia", Diante do Trono
"Aline Barros na Estrada", Aline Barros
"DDG Experience", Oficina G3
"Na Sala do Pai", Thalles

Revelação
Arianne
Brenda
Megafone
Ministério Além do Véu
Thalles

Melhor Grupo
Ao Cubo
Cassiane e Jairinho
Livres para Adorar
Oficina G3
Trazendo a Arca

Melhor Ministério de Louvor
Comunidade Evangélica Internacional da Zona Sul
Ministério de Louvor Diante do Trono
Ministério Sarando a Terra Ferida de Nova Iguaçu
Renascer Praise
Voz da Verdade

Melhor Cantor
André Valadão
Davi Sacer
Fernandinho
Leonardo Gonçalves
Thalles

Melhor Cantora
Aline Barros
Cassiane
Damares
Fernanda Brum
Nívea Soares

Melhor Música
"Aleluia", Diante do Trono
"Deus da minha vida", Thalles
"Ressuscita-me", Aline Barros
"Sou humano", Bruna Karla
"Um novo vencedor", Damares

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Banda Petra comemora 40 anos com show no Brasil


Banda Petra comemora 40 anos com show no Brasil
  • Psicóloga explica como falar sobre a morte para crianças
  • Homem sem atitude: a culpa é sempre da mãe?
  • Rebecca Johnson do Jesus Culture fala sobre medo do futuro
  • Coral Resgate lança novo site pela RStudys Design
  • Bianca Toledo lança o Projeto "A história de um milagre"
  • Começou a contagem regressiva para o show mais esperado de todos os tempos pelos fãs brasileiros da lendária banda PETRA! Em 2012, São Paulo será palco de um show histórico, com direito a cerca de quatro horas do melhor do gospel rock mundial!


    Com cerca de 20 milhões de cópias vendidas, mais de 25 álbuns (entre oficiais e coletâneas), ganhadora de 4 Grammy´s e 10 Dove Awards, a banda se apresentará em São Paulo em 09/06/2012, com as duas formações em atividade, Classic e Reunion.
    Este será um show inesquecível, e você não pode perdê-lo!


    Em um evento inédito no Brasil, estarão reunidos, no mesmo palco, as formações:

    PETRA Reunion
    Após anunciar que se retiraria dos palcos em 2005, os fãs se perguntaram se realmente nunca mais veriam esta lendária banda nos palcos. E aí, felizmente, com o ótimo trabalho de Sue Dempster e o apoio maciço dos fãs nas brilhantes apresentações da Argentina (2007 e 2010), EUA e Brasil (2010), esta formação, que conta com John Schlitt (lead vocal), Bob Hartman (guitarra), Greg Bailey (baixo) e Cristian Borneo (bateria), tem balançado os palcos por onde tem passado, lotando auditórios com a mesma energia com que sempre se apresentaram.

    Classic Petra
    Após 25 anos, Bob Hartman iniciou o ano de 2010 com um projeto realmente inesperado pelos fãs: conduzidos por Michael Nachtigal, responsável por reunir a formação clássica do Petra, Greg X. Volz (Lead Vocal), Bob Hartman (Guitarra), John Lawry (Teclados), Louie Weaver (Bateria) e Mark Kelly (Baixo), entraram em estúdio para produzir um novo álbum com sucessos regravados com toda a tecnologia hoje existente, além de novos arranjos, e duas novas canções. Assim os fãs viram surgir, em Novembro/2010, o novíssimo álbum Back to the Rock, que iniciou a sua divulgação através de uma turnê mundial que começou em Abril/2011.


    Será um evento com um público limitado a 2000 pessoas, e os ingressos, que estão sendo vendidos através de uma ação de crowdfunding (colaboração entre fãs que patrocinam o show). Para maiores informações e compra do ingresso, visite o site oficial do evento.


    Além da Sony Music Gospel Brasil, empresas como a AGHosts Hospedagens e a Versátil Turismo estão apoiando o evento.


    Sabe aquele evento inédito, que você não pode perder de forma alguma? Então anote primeiro em sua agenda, e providencie o quanto antes o seu ingresso:
    PETRA 40 ANOS
    INGRESSOS A VENDA E LIMITADOS!!!
    Data: 09/06/2012 às 19h
    Local: São Paulo
    Para maiores informações visite a página oficial do evento:
    www.petra40anos.com
    Nas redes sociais:
    Facebook: www.facebook.com/Petra40Anos
    Twitter: @petra40anos

    sábado, 26 de novembro de 2011

    A dura vida dos ateus em um Brasil cada vez mais evangélico

    Jornalista, escritora e
    documentarista. Ganhou mais
    de 40 prêmios nacionais e
    internacionais de reportagem.
    A parábola do taxista e a intolerância. Reflexão a partir de uma conversa no trânsito de São Paulo. A expansão da fé evangélica está mudando “o homem cordial”?

    ELIANE BRUM


    O diálogo aconteceu entre uma jornalista e um taxista na última sexta-feira. Ela entrou no táxi do ponto do Shopping Villa Lobos, em São Paulo, por volta das 19h30. Como estava escuro demais para ler o jornal, como ela sempre faz, puxou conversa com o motorista de táxi, como ela nunca faz. Falaram do trânsito (inevitável em São Paulo) que, naquela sexta-feira chuvosa e às vésperas de um feriadão, contra todos os prognósticos, estava bom. Depois, outro taxista emparelhou o carro na Pedroso de Moraes para pedir um “Bom Ar” emprestado ao colega, porque tinha carregado um passageiro “com cheiro de jaula”. Continuaram, e ela comentou que trabalharia no feriado. Ele perguntou o que ela fazia. “Sou jornalista”, ela disse. E ele: “Eu quero muito melhorar o meu português. Estudei, mas escrevo tudo errado”. Ele era jovem, menos de 30 anos. “O melhor jeito de melhorar o português é lendo”, ela sugeriu. “Eu estou lendo mais agora, já li quatro livros neste ano. Para quem não lia nada...”, ele contou. “O importante é ler o que você gosta”, ela estimulou. “O que eu quero agora é ler a Bíblia”. Foi neste ponto que o diálogo conquistou o direito a seguir com travessões.

    - Você é evangélico? – ela perguntou.
    - Sou! – ele respondeu, animado.
    - De que igreja?
    - Tenho ido na Novidade de Vida. Mas já fui na Bola de Neve.
    - Da Novidade de Vida eu nunca tinha ouvido falar, mas já li matérias sobre a Bola de Neve. É bacana a Novidade de Vida?
    - Tou gostando muito. A Bola de Neve também é bem legal. De vez em quando eu vou lá.
    - Legal.
    - De que religião você é?
    - Eu não tenho religião. Sou ateia.
    - Deus me livre! Vai lá na Bola de Neve.
    - Não, eu não sou religiosa. Sou ateia.
    - Deus me livre!
    - Engraçado isso. Eu respeito a sua escolha, mas você não respeita a minha.
    - (riso nervoso).
    - Eu sou uma pessoa decente, honesta, trato as pessoas com respeito, trabalho duro e tento fazer a minha parte para o mundo ser um lugar melhor. Por que eu seria pior por não ter uma fé?
    - Por que as boas ações não salvam.
    - Não?
    - Só Jesus salva. Se você não aceitar Jesus, não será salva.
    - Mas eu não quero ser salva.
    - Deus me livre!
    - Eu não acredito em salvação. Acredito em viver cada dia da melhor forma possível.
    - Acho que você é espírita.
    - Não, já disse a você. Sou ateia.
    - É que Jesus não te pegou ainda. Mas ele vai pegar.
    - Olha, sinceramente, acho difícil que Jesus vá me pegar. Mas sabe o que eu acho curioso? Que eu não queira tirar a sua fé, mas você queira tirar a minha não fé. Eu não acho que você seja pior do que eu por ser evangélico, mas você parece achar que é melhor do que eu porque é evangélico. Não era Jesus que pregava a tolerância?
    - É, talvez seja melhor a gente mudar de assunto...

    O taxista estava confuso. A passageira era ateia, mas parecia do bem. Era tranquila, doce e divertida. Mas ele fora doutrinado para acreditar que um ateu é uma espécie de Satanás. Como resolver esse impasse? (Talvez ele tenha lembrado, naquele momento, que o pastor avisara que o diabo assumia formas muito sedutoras para roubar a alma dos crentes. Mas, como não dá para ler pensamentos, só é possível afirmar que o taxista parecia viver um embate interno: ele não conseguia se convencer de que a mulher que agora falava sobre o cartão do banco que tinha perdido era a personificação do mal.)

    Chegaram ao destino depois de mais algumas conversas corriqueiras. Ao se despedir, ela agradeceu a corrida e desejou a ele um bom fim de semana e uma boa noite. Ele retribuiu. E então, não conseguiu conter-se:

    - Veja se aparece lá na igreja! – gritou, quando ela abria a porta.
    - Veja se vira ateu! – ela retribuiu, bem humorada, antes de fechá-la.
    Ainda deu tempo de ouvir uma risada nervosa.


    Leia Mais em: http://www.genizahvirtual.com/#ixzz1erviDAKu
    Under Creative Commons License: Attribution Non-Commercial Share Alike

    Proclame AQUI o seu falso evangelho da prosperidade!



    Leia Mais em: http://www.genizahvirtual.com/#ixzz1errbVfO1
    Under Creative Commons License: Attribution Non-Commercial Share Alike
    video

    BR 367: Ponte inacabada há cinco anos é motivo de revolta de moradores


    Fonte: Jornal Estado de Minas - João Henrique do Vale, em 25.11.2011
    BR 367: Ponte sobre o rio Fanado, na cidade de Minas Novas, no Alto Jequitinhonha

    A estrutura tem 150 metros de extensão e 25 metros de largura. A obra custou, até agora, R$ 3 mi e só não foi concluída pois alguns trechos da rodovia ainda não foram pavimentados

    Uma obra que diminuiria a viagem dos motoristas que passam pela BR-367, próximo a Minas Novas, no Vale do Jequitinhonha, vem testando a paciência de moradores da região. Uma ponte, que liga a rodovia às cidades de Chapada do Norte, Berilo, entre outras, está pronta há cinco anos e espera apenas a construção da cabeceira da pista para ser finalizada. Porém, a demora se dá pela queda de braço entre o Departamento de Estradas e Rodagem (DER) e o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (Dnit).
    A construção da estrutura começou em 2005 e foi finalizada em 2006 pelo DER que fez um convênio com o Dnit. A ponte tem 150 metros de extensão e 25 metros de largura, e a obra foi orçada em R$ 3 milhões.

    Segundo a assessoria do DER, o trabalho que foi passado ao órgão, foi concluído e ficou faltando o encabeçamento da pista que teria de ser feito pelo Dnit, pois o trecho é de responsabilidade federal. Para este trabalho ser feito, alguns trechos da rodovia têm que ser pavimentados, pois hoje são de terra batida. Ao todo, segundo o DER, um pedaço de sete quilômetros ainda falta receber asfalto para que o encabeçamento seja concluído.

    Enquanto isso não acontece, o DER afirma que faz a manutenção da pista, como limpeza, nivelamento e trabalhos para evitar alagamentos nas encostas de rios.

    O Dnit informou, em nota, que a diretoria do órgão em Brasília está preparando uma licitação das obras que são necessárias para a conclusão da ponte e do restante da rodovia. A expectativa é que saia no ano que vem.
    Motoristas pagam o pato
    O jogo de empurra entre os órgãos prejudica os motoristas que têm que passar pelo trecho. Morador de Mantena, na Região do Rio Doce, o servidor público Edson Silva, passou pela BR-367 onde iria visita uns amigos em Minas Novas. Ao passar pela estrutura abandonada, ele se impressionou com o que viu. “Vimos a ponte e achamos um absurdo. É uma obra muito grande que está abandonada sem a cabeceira. Além disso tem muita sujeira no local. É um desperdício de dinheiro”, afirma Edson Silva.

    Se a ponte estivesse pronta iria ajudar muitos motoristas que têm que passar pela região para seguir para outras regiões do Estado. “Essa rodovia sai em outra BR que corta do Nordeste ao Norte de Minas. Se tivesse pronta, ia ser uma mão na roda”, disse Edson. A opinião dele é compartilhada por um funcionário do DER de Capelinha, que não quis se identificar. “Quem está na região Guanhães, Turmalina, Minas Novas, e segue neste trecho é um caminho certo. Vai diminuir bastante a quilometragem”, conta o funcionário.

    sexta-feira, 25 de novembro de 2011

    Políticos evangélicos comentam sobre simulação de ato de sexual gay em Parada LGBT ao som de hino gospel: “É um ato imoral”


    Políticos evangélicos comentam sobre simulação de ato de sexual gay em Parada LGBT ao som de hino gospel: “É um ato imoral”

    A performance do cabeleireiro carioca Carlos Duarte, 56 anos, fotografado durante a Parada Gay do Acre, em ato obsceno com outro homem, simulando a prática de sexo oral foi assunto na Assembleia Legislativa do Acre nessa terça feira (22).

    “Quando temos órgãos masculinos sendo expostos, pessoas expondo seus seios, isso é crime. Eu não concordo com isso. Essa imagem me estarreceu. Existiram exageros premeditados”, afirmou o deputado evangélico Jamyl Asfury (DEM), que foi o primeiro a ocupar a tribuna da Assembleia para criticar o “ato obsceno”, que ganhou repercussão nacional após a publicação de fotos nas redes sociais. Ele também lamentou que a música gospel “Faz um milagre em Mim”, tenha sido tocada durante o evento.

    “Compete ao Estado reprimir aquele tipo de manifestação. Nós temos um símbolo para nós, que é um hino, e ele foi profanado. Um dia, um líder religioso foi condenado à prisão porque chutou a imagem de uma santa. Não basta pedir perdão, tem que ser punido” disse Asfury.

    De acordo com o Terra Magazine, outro evangélico, o deputado Astério Moreira (PRP), disse que o cabeleireiro devia ter procurado um motel “para fazer aquilo”. “O governo não pode continuar usando dinheiro público para patrocinar um evento que agride às famílias” afirmou Moreira, que é da base governista.

    Outro deputado a se pronuncia foi Eduardo Farias (PCdoB), ele contou que costuma participar da Parada Gay do Acre na companhia da mulher e do filho, mas também criticou a performance do cabeleireiro: “O que vimos não representa aquilo que se pretendia com a Semana da Diversidade. Esse tipo de ato não constrói nada e joga contra. O que aconteceu não representa a ideia de quem defende diversidade, tolerância, sociedade solidária. Crime como aquele nós não podemos tolerar” afirmou Farias.

    Outro evangélico a se pronunciar foi o deputado Gerado Pereira, líder do PT: “Temos que respeitar os direitos individuais das pessoas e reconhecer que são fatos isolados. Ninguém é obrigado a ir para o céu. Ir para o céu é opcional. Mas os direitos individuais, que regem a sociedade, nós temos que garantir”, ele ponderou que a polêmica é decorrente da atitude irresponsável de duas pessoas que participavam da manifestação e que agrediram a sociedade.

    Mobilização na Praça do Povo em Capelinha MG Movimento no Centro de Capelinha em Prol da UFVJM


    Foto: Aléquison


    25 de novembro 2011. Um dia histórico no Vale do Jequitinhonha. Durante toda manhã houve manifestação pública na Praça do Povo de Capelinha, no Alto Jequitinhonha, onde mais de 5 mil cidadãos e cidadãs da cidade e de vários municípios do Vale do Jequitinhonha estão se manifestando pela implantação de 3 campus da UFVJM - Univesidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri, em cidades-polo da região, nas microrregiões de Capelinha, Araçuaí/Itaobim e Almenara.

    Chamado de Dia E pela educação superior, pública, gratuita e de qualidade, os manifestantes foram convocados pelo Movimento A UFVJM é NOSSA! com o apoio de autoridades locais, Sindicatos, meios de comunicação, escolas, associaçes comunitárias, empresários, diversos partidos políticos, igrejas, agentes culturais.








    Foto: Rogerio Chaves

    Reconheça Jesus no cartório, com firma reconhecida!




    Cansado de assistir a casos de corrupção na política sul-mato-grossense o funcionário público José Luiz de Oliveira, o “Zé do Itahum”, resolveu apelar para Jesus Cristo.

    Zé, que é Bacharel em Direito, elaborou uma petição endereçada a Jesus Cristo e protocolou em vários órgãos governamentais como forma de protesto a falta de ação da justiça como ela afirma no documento.
    “Excelentíssimo Senhor Jesus Cristo pai eterno e poderoso dos seres humanos que existem nesta terra”. Foi desta forma que José Luiz, que foi vereador em Dourados na década de 1990, se dirigiu a Jesus fazendo o que ele considerou uma “denúncia contra os poderes que existem no Brasil”.

    O funcionário público começa a petição dizendo que “é com muita relutância que venho perante o Filho do Senhor afirmar que a política tornou-se a arte de se prostituir”. Segundo Zé do Itahum, “virou-se prostituição e iniciou-se no Poder Executivo passando para o Legislativo e chegou ao Judiciário”.
    José Luiz pede a Jesus Cristo que “decrete uma nova lei no mundo em exclusividade no Brasil para que os políticos que cometem crimes de corrupção sejam eliminados da política e confiscados seus bens e doados a entidades e que sejam obrigados a doarem seus órgãos”.

    O autor do pedido diz que “conforme a Bíblia Sagrada todos os cidadãos são filhos de Deus e deverão ser respeitados para que possa viver em paz com suas famílias”. José Luiz termina a sua petição solicitando que Jesus Cristo tome as providencias necessárias conforme está escrito na Bíblia.

    No documento assinado pelo funcionário público está um amplo relato dos casos de corrupção em Mato Grosso do Sul e no Brasil e todos os prejuízos causados aos cofres públicos e a população.

    Entre os órgãos públicos que José Luiz de Oliveira protocolou a petição para Jesus Cristo constam o Tribunal de Contas, a Câmara Municipal de Campo Grande, Secretaria de Governo de Mato Grosso do Sul, Correios e Tribunais Regional Eleitoral e de Justiça de Mato Grosso do Sul.


    Publicado originalmente em Fronteira Agora Via Pavablog


    Se a moda pega, São Pedro, de porteiro do Céu, passa a escriturário de cartório em 15 dias... Risos!

    Leia Mais em: http://www.genizahvirtual.com/#ixzz1eiViSuzl
    Under Creative Commons License: Attribution Non-Commercial Share Alike

    Pesquisa revela: O número crescente de ateus se dá por danos causados por igreja




    O apologista cristão Dr. Alex McFarland concluiu, após entrevistar diversos céticos para seu novo livro, 10 respostas para céticos, que a maioria desenvolveu ceticismo devido à sua má experiência pessoal com a religião organizada.

    "Através de quase um ano de pesquisas e numerosas entrevistas pessoais, meu objetivo era realmente entrar dentro da mente cética ", disse McFarland em entrevista ao The Christian Post.

    "O tipo mais comum de céticos que encontro são pessoas feridas. Muitos foram atingidos pela igreja, religião, ou por outro cristão ", acrescentou McFarland, que explicou que" praticamente todos os céticos que conversou neste livro surgiram de um fundo religioso.

    Em seu livro, McFarland identifica dez tipos diferentes de ateus. Nestes, estão incluidos "O Educado", que é alguém que tem objeções intelectuais ao cristianismo, "O Tolerante", que pensa em todas as crenças religiosas como sendo verdadeiras e não aceitam conversas sérias sobre a religião, e "O Ferido", que é alguém que rejeita o cristianismo porque teve uma má experiência com a igreja.

    "Me compadeço com muito dos céticos que encontro. Dúvida intelectual é muitas vezes precedida por dor emocional", disse McFarland, que é presidente da Southern Evangelical Seminary na Carolina do Norte.

    A situação espiritual nos Estados Unidos descrita pelo reconhecido orador cristão em seu livro pode ser angustiante. Muitas vezes ele descreve como uma mistura de laicidade no ensino público e más experiências pessoais tem levado muitos a rejeitar a crença cristã.

    "Circunstâncias pessoais, feridas emocionais, experiências danosas na igreja - para não mencionar ensino público - tudo conspira para levar as pessoas longe da crença em um Deus benevolente, sábio e poderoso."

    McFarland considera a ascensão do ceticismo anti-religioso nos Estados Unidos possa ter ocorrido em parte por causa do "recuo" da igreja provocado pela cultura popular durante o século 20.

    "A igreja norte-americana, em grande parte, abdicou de seu papel como líder na sala de aula, a mídia, o Judiciário, o mercado, as artes, as ciências", disse ele.

    "Nas mentes de muitos cristãos, tornou-se evidente que" religião e política não se misturam. "Imagino que essa dicotomia é exatamente o que os inimigos de Deus e da democracia querem os cristãos acreditam".

    Apesar da situação melancólica geral descrito, McFarland, no entanto, inclui várias histórias promissor: Um homem que desiste de uma vida cheia de drogas para um relacionamento com Cristo, outro cujo sentimento de aceitação em uma igreja a levou a converter.

    McFarland destaca em seu livro que construir relacionamentos é fundamental, independentemente do tipo de cético. Ele escreve em um ponto que "evangelismo eficaz para os céticos é provavelmente cerca de 80 relações por cento e 20 por cento evidência persuasiva".

    "A importância de estabelecer e nutrir um relacionamento real é de vital importância se o diálogo significativo com um cético se vai realizar", escreve McFarland.

    O livro é dividido em três seções com uma frente escrito pelo apologista do companheiro e autor best-seller Dinesh D'Souza. Seção I, intitulada "Dentro da Mente de um Cético", dá uma visão geral dos vários tipos de céticos e as experiências de vários apologistas que evangelizam e intelectualmente defender a fé. Seção II, intitulado "Respondendo a céticos", é dividido em dez capítulos, cada um descrevendo as dez categorias de céticos e depois termina com um capítulo conclusão. A última seção é um conjunto de apêndices sobre vários temas, inclusive respondendo equívocos comuns sobre o cristianismo e informações sobre as crenças de outras grandes religiões.

    Além de livros de autoria diversas e sendo o presidente de um seminário, McFarland também hospeda um talk show na rede do Broadcaster Religioso Nacional, e participa de passeios falando sobre religião e cultura.

    10 Respostas para Céticos foi lançado em outubro, e é um dos vários livros escritos por McFarland lançado este ano.

    Fonte:Christian Post

    quarta-feira, 23 de novembro de 2011